Experience On / Mundo dos Dados

Metaverso, parte 3: como a indústria em geral está lidando com Realidade Virtual, Realidade Aumentada

por Elcio Santos - 21/07/2022

Rememorando, o Metaverso é um ambiente virtual imersivo, coletivo e hiper-realista, onde as pessoas podem conviver usando avatares customizados em 3D.

Ele pode ser acessado com óculos especiais e outros equipamentos e no qual cada pessoa pode fazer, construir, ser o que quiser.

Nos newsletters anteriores, falamos sobre o impacto do Metaverso na educação e apresentamos alguns cases da indústria financeira.

Agora, vamos falar sobre as aplicações do Metaverso na indústria em geral, principalmente em relação a ambientes de teste.

Sem esquecer que estamos compartilhando a visão de um especialista da @McKinsey, Richard Ward.

O original pode ser acessado no podcast At the Edge.

Concretamente, aponta Ward, as mudanças iniciais estão se dando no campo operacional: as empresas estão começando a usar Realidade Aumentada para assistência remota fornecida por meio de um smartphone ou tablet ou até mesmo um conjunto de óculos sofisticados com lentes especiais.

Mas já está ficando mais interessante.

As empresas estão começando a usar os dados gerados a partir desse processo e perguntar, por exemplo, sobre quais problemas estão recebendo mais chamadas de assistência remota.

E estão usando essas informações para atualizar o programa de treinamento, avaliando se as pessoas realmente aprenderam as coisas que precisam aprender, diminuindo potencialmente o número de chamadas para uma categoria de problemas.

Será que os funcionários não ficam preocupados que essa tecnologia vire uma espécie de “big brother”?

Afinal, ninguém gosta da sensação de que há alguém olhando por cima do seu ombro para ver se está tudo certo.

Ward garante que ocorre o contrário: as pessoas gostam muito da sensação de que estão ganhando domínio sobre os problemas, o que também lhes dá uma sensação de satisfação no trabalho.

E aí entramos na questão dos ambientes de teste.

Os designers de novos produtos e serviços estão fazendo a mágica deles primeiro em ambientes do tipo metaverso, para entender como os produtos se relacionam com o mundo físico.

Segundo Ward, uma das coisas que aprendemos durante a pandemia é que, se você passar a usar essas salas de design do Metaverso, seus clientes e outros engenheiros especialistas podem fazer login remotamente e a experiência assume a qualidade do Zoom em 3-D, o que permite que um novo nível de engenharia aconteça.

A beleza disso é que as pessoas são capazes de fazer um trabalho de projeto de engenharia altamente produtivo sem sequer precisar entrar em um avião.

Há ganhos inclusive de marketing.

Podemos pegar os mesmos diagramas e recursos de engenharia construídos em um ambiente colaborativo 3-D e, com um pouco de polimento, eles se tornam o centro das campanhas de marketing e promoções de vendas.

Eles são capazes de levar um cliente para um novo ambiente, mostrar a ele como o equipamento se integra e deixá-lo dar uma boa olhada nele.

E então, o que acha desse admirável mundo novo?

Coloque suas observações – e dúvidas – na caixa de comentários.

Prometo responder a todas elas.

Descomplique já

Fale com um dos nossos especialistas em Estratégia do Consumidor