Experience On / Mundo dos Dados

O aplicativo também foi programado para oferecer aos clientes a opção de comprar tamanhos maiores, Frosties ou especiais do dia, visando aumentar as vendas.

por Elcio Santos - 06/06/2023

A Wendy's está automatizando seu serviço drive-through usando um chatbot de inteligência artificial alimentado por um software de linguagem natural desenvolvido pelo Google e treinado para entender as inúmeras maneiras pelas quais os clientes fazem pedidos do cardápio.

Com a mudança, a Wendy’s está se juntando a um grupo cada vez maior de empresas que se apoiam na IA generativa para crescer.

O aplicativo também foi programado para oferecer aos clientes a opção de comprar tamanhos maiores, Frosties ou especiais do dia, com o objetivo de aumentar as vendas.

O objetivo é agilizar o processo de pedidos e evitar que longas filas nas pistas de drive-thru afastem os clientes, disse Todd Penegor.

No entanto, a Wendy’s não divulgou o custo da iniciativa, apenas disse que a empresa trabalha com o Google em áreas como análise de dados, aprendizado de máquina e ferramentas de nuvem desde 2021.

Como a Wendy’s está Automatizando seu Serviço?

Wendy's

Para fazer isso, os engenheiros de software de Wendy têm trabalhado com o Google para criar e ajustar um aplicativo de IA generativo projetado, a fim de reconhecer e imitar a sintaxe e a semântica da fala humana.

O modelo de linguagem personalizado da Wendy’s inclui termos, além de frases e acrônimos exclusivos que os clientes passaram a usar ao pedir seus hambúrgueres, batatas fritas e outros itens.

Por exemplo, – como “JBC” para cheeseburger com bacon júnior ou “biggie bags” para várias combinações de hambúrgueres, nuggets de frango e Refrigerantes.

Do mesmo modo, a empresa nomeia os milkshakes da Wendy’s de Frosties para aumentar a complexidade, embora nem sempre os clientes usem o termo da marca.

“Você pode pensar que dirigir e falar em um drive-through é um problema fácil para a IA, mas na verdade é um dos mais difíceis”, – disse Thomas Kurian, CEO do Google Cloud, a divisão de computação em nuvem da empresa.

Entre outros desafios, disse Kurian, pode haver muitos ruídos estranhos em um carro familiar, como música ou crianças no banco de trás.

O software precisa cortar esses sons e se concentrar na pessoa que está fazendo um pedido e no tipo de linguagem que está usando.

Este processo requer muito ajuste fino, disse Kurian.

Ao mesmo tempo, as pessoas, às vezes, mudam de ideia ao fazer um pedido e o aplicativo precisa ser capaz de capturar isso, disse ele.

“É um problema técnico muito complicado.”

A empresa programou o aplicativo para oferecer aos clientes a oportunidade de comprar tamanhos maiores, Frosties ou especiais do dia, visando aumentar as vendas.

Assim que o chatbot recebe um pedido, ele aparece em uma tela para os cozinheiros de linha.

De lá, as refeições preparadas são retransmitidas para o guichê de coleta e entregues aos motoristas por um trabalhador.

Kevin Vasconi, diretor de informações da Wendy’s, disse que os testes realizados nos últimos meses no restaurante Columbus foram favoráveis.

Os gastos no mercado global de IA generativa devem chegar a US$ 42,6 bilhões até o final do ano.

Estes gastos vêm crescendo a uma taxa anual de 32%, para US$ 98,1 bilhões até 2026, segundo a empresa de análise de mercado PitchBook Data.

Importante saber: Inteligência Artificial e a Fidelização de Clientes

Fonte: The Wall Street Journal

Descomplique já

Fale com um dos nossos especialistas em Estratégia do Consumidor