Experience On / B2B

Plano Estratégico para Empresas: Elon Musk mostra como!

por Elcio Santos - 29/11/2022

A compra do Twitter por Elon Musk, que agora parece provável, pode significar grandes mudanças para a plataforma, incluindo uma possível mudança de liderança, já que o CEO Parag Agrawal e Musk entraram em conflito.

Por que investir em um plano estratégico para empresas é eficaz? Leia o artigo!

Em relação a quem poderia liderar a empresa, os especialistas só concordam em uma coisa: não pode ser Musk.

“Ele é o pior cara para colocar no cargo de executivo-chefe”, disse William Klepper, diretor de educação executiva da Columbia Business School. “É um inventor, não um gerente. Ele é imprevisível, mas é um gênio.”

O candidato ideal, disse Klepper, seria alguém que levou uma startup a um estágio maduro e que tenha experiência em engenharia de reviravoltas semelhantes em outras empresas, juntamente com uma tolerância saudável ao caos.

Outras mudanças potenciais incluem menos moderação de conteúdo, reversões de banimentos de usuários e expansão dos serviços da plataforma, com Musk tuitando recentemente: “Comprar o Twitter é um acelerador para a criação do X, o aplicativo de tudo”.

Ele já vem há algum tempo elogiando a ideia de um “super aplicativo. Em uma reunião com funcionários do Twitter, em junho ele falou favoravelmente do WeChat.

>>>Gerenciamento dos modelos de relacionamento com o consumidor, a partir da criação de Buyer persona e estabelecimento de métricas, fale com a Always On agora mesmo!

Trata-se de um aplicativo popular na China que é usado para tudo, desde pegar carona até comprar mantimentos e conversar com amigos.

“Você basicamente vive no WeChat na China porque é muito útil para a vida cotidiana, e acho que se pudermos alcançar isso, seria um imenso sucesso”, disse ele.

Antes disso, em maio, ele havia proposto adicionar uma plataforma de pagamento ao Twitter e adicionar um recurso de assinatura.

Enquanto se movia para aumentar a receita geral em cinco vezes, para US$ 26 bilhões, segundo o New York Times. Ele também projetou que a plataforma teria 930 bilhões de usuários até 2028.

Fonte: CBSNews

Descomplique já

Fale com um dos nossos especialistas em Estratégia do Consumidor